Quem somos

A cada 3 anos a Equipe Eclesial Nacional (nome que se dá para um casal e um sacerdote que representam o nível nacional da estrutura do movimento) se renova e em cada período de coordenação definem um projeto.
Para representar o projeto para este período de coordenação observou-se os lemas anteriores, a saber: SEMEANDO ESPERANÇA e CULTIVANDO O SONHO, sendo o próximo passo “AVANTE, MISSIONÁRIOS DO AMOR!”, desafiando-nos a, como D. Quixote fazer acontecer a missão de expandir o EMM.

Equipe Eclesial Nacional
Pe. Nivaldo, Marcos Antônio e Maria José

                     Apresentação da logomarca

logo-emm

O mapa do Brasil – significa o terreno de missão.
O casal e o sacerdote – que, através da intersacramentalidade, caminha rumo ao “reino da vida” que é o ponto de chegada de toda evangelização, como nos diz o Documento de Aparecida. .
O símbolo do EMM – significa que devemos caminhar com foco na missão, visão e carisma do movimento. Os raios por traz do símbolo do EMM representam a irradiação da vida em plenitude.
O projeto está fundamentado no Documento de Aparecida 2007 – que prioriza o ser igreja em estado permanente de missão, sempre focados na visão, missão e carisma do EMM. O avante significa o chamado. Somos convidados a sair da zona de conforto, sendo discípulos e missionários comprometidos com a missão de levar o presente do fds a todos aqueles que ainda não viveram.
Fundamentação bíblica:
No texto de Jo. 20, 21, lemos: “Jesus disse de novo: ‘A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou também eu vos envio’.
Como lema de trabalho, queremos enfatizar as palavras deste versículo: “Como o Pai me enviou também eu vos envio.”
O escutar a palavra de Deus e seguir adiante é uma constante na Sagrada Escritura. Vemos isto em Abraão, Isaac, Jacó e seus filhos; Moisés; os profetas; etc. Apesar deste peregrinar na fé, “não alcançaram a realização da promessa. É que Deus estava prevendo algo melhor para nós; não queria que chegassem sem nós, à plena realização.” (Hb 11,39-40)
O que seria este algo melhor? No livro do Gênesis, vemos que Deus torna o homem, seu parceiro na criação. (cf. Gn 1,28; 2,5; 2,18-23) Ao enviar os apóstolos em missão, Deus nos transforma em parceiros na salvação.
Esta colaboração fica bem clara na palavra de Jesus – da mesma forma que o Pai o enviou a nós, ele nos envia entre nós. A obra de Deus se completa com a salvação operada plenamente por Jesus com a nossa colaboração, por vontade soberana d’Ele.
Como dialogadores, Jesus nos envia para a missão de “Proclamar o valor do matrimônio e da Ordem Sagrada na Igreja e no mundo”. Sabemos, pela nossa experiência e o nosso papa emérito Bento XVI confirma, que “a família é insubstituível para a serenidade pessoal e para a educação dos filhos.” (Discurso inaugural da V Conferência Episcopal Latino americana)
Queremos acolher a convocação dos bispos em Aparecida, e “desenvolver a dimensão missionária da vida de Cristo”, fazendo com “que cada comunidade cristã se transforme num poderoso centro de irradiação da vida em Cristo.” (DA nº362)
No mesmo documento os bispos nos lembram que “a família cristã é a primeira e mais básica comunidade eclesial (…) os pais desempenham o papel de primeiros transmissores da fé a seus filhos, ensinando-lhes (…) a serem verdadeiros discípulos missionários (…) quando essa experiência de discipulado missionário é autêntica, uma família se faz evangelizadora de muitas outras famílias e do ambiente em que ela vive.” (DA nº 204)
O cristianismo, mais do que uma fé, é uma maneira de viver a decisão de amar a Deus.
Aquele que nos envia em missão, tem tanta pressa de que a realizemos, que recomenda-nos não nos demorarmos pelo caminho. Importa então, aprofundarmos nosso relacionamento conjugal e intersacramental, para anunciarmos pela nossa vida, o ideal no qual acreditamos.
Avante, missionários do amor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *